Blog

28/08/2019

ATIVIDADE EMPRESÁRIA INFORMAL: ENTENDA OS RISCOS E DESVANTAGENS

Nos últimos anos, vem crescendo entre os brasileiros o a vontade e o espírito de empreender. Quem nunca parou para pensar em como seria ser o dono do próprio negócio? Diante do atual cenário econômico do nosso país, com altas taxas de desemprego, mercados saturados e falta de expectativa de crescimento no trabalho, empreender e trabalhar por conta própria vem se tornando uma alternativa para diversas pessoas, seja como forma de sustento próprio e de suas famílias, seja com o intuito de complementação de renda.

No entanto, grande parte dos pequenos empreendedores exercerem suas atividades de maneira informal, ou seja, sem o devido registro no órgão competente, burlando a fiscalização do Estado. Diversos são os fatores que desestimulam a formalização por parte destes indivíduos, como a falta de informação, custos elevados para abertura e regulamentação, bem como a incapacidade de arcar com o pagamento dos tributos.

Porém, permanecer na informalidade também tem seu preço. A economia que se almeja ao não arcar com os impostos devidos, muitas vezes, acaba não sendo compensatória, uma vez que a falta de regulamentação da atividade pode ensejar multas e restrições.

A ausência do registro da Pessoa Jurídica impede que o empreendedor tenha acesso a diversos serviços de crédito, por não haver comprovação da atividade e tampouco da renda auferida, impossibilitando a contratação de crédito para investir no negócio.

Outro ponto de extrema importância é a separação do patrimônio pessoal daquele da empresa. Sabe-se que os regimes de tributação para pequenos negócios são menores quando comparados àqueles aplicados a pessoas físicas. Ainda, pessoas jurídicas contam com isenções, benefícios e incentivos fiscais.

Além disso, sem o CNPJ regularizado, não é possível a emissão de Notas Fiscais. Também não poderá participar de processos licitatórios, nem mesmo requerer falência ou participar da recuperação de empresas que sejam suas devedoras.

De outro lado, o registro efetivo possibilita a contribuição com a Previdência Social, permitindo o acesso a diversos benefícios, como Auxílio Doença, Auxílio Maternidade, Aposentadoria, dentre outros.

Neste ponto, destaca-se o quão importante e vantajoso é ter um negócio formal. Exercer uma atividade regulamentada permite planejamento, acesso a diversas modalidades de crédito, participação em licitações, além de outros benefícios que empreendedores informais não têm acesso.

Assim, formalizar é o caminho que liga o empreendedorismo ao sucesso!!

Se você deseja iniciar uma atividade formal, mas ainda tem dúvidas quanto ao registro e regulamentação, procure uma consultoria especializada.

 

 

Grazielle Ferreira Gozzi

Advogada Associada - RZA Advocacia

OAB/MS 23.006

Pós Graduanda em Direito Civil e Empresarial

grazielle@rzaadvocacia.com.br

POSTS RELACIONADOS

COVID-19 | Programa Emergencial de Suporte a Empregos: Minha empresa terá direito ao crédito?
Com a publicação da Medida Provisória nº 944/2020, o Governo Federal instituiu o “Programa Emergencial de Suporte a Empregos”, que consiste em uma linha de crédito emergencial destinada a empresários, s...

» ler post

COMPLIANCE: O QUE É E QUAL O SEU PAPEL NA SAÚDE DOS NEGÓCIOS
Nos últimos tempos, o Compliance vem se tornando um tema de muita relevância no ambiente empresarial. Isto porque, sua aplicação busca mitigar os riscos inerentes à atividade. Mas você sabe o que é Complianc...

» ler post

EMPREENDEDORISMO: QUERO ABRIR MEU PRÓPRIO NEGÓCIO. E AGORA?
Ser o dono do próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Mas essa não é uma tarefa fácil! A ideia de começar tudo do zero e investir em algo incerto acaba intimidando grande parte dos possívei...

» ler post

A INTEGRALIZAÇÃO DE BENS IMÓVEIS NO CAPITAL SOCIAL – REGISTRO E INCIDÊNCIA DE ITBI
O Capital Social, nada mais é, do que o conjunto de recursos providos pelos sócios ou acionistas que irão compor o quadro social, para que se formalize a constituição da sociedade. Ou seja, trata-se do patrimônio ...

» ler post

CUIDADOS INDISPENSÁVEIS PARA SE MANTER UM “NEGÓCIO EM FAMÍLIA”
Segundo dados do Sebrae e do IBGE, hoje 9 a cada 10 empresas brasileiras são familiares, podendo ser consideradas como um pilar da economia nacional. No entanto, estas empresas apresentam peculiaridades que requerem extrema atenção. S...

» ler post

Vamos empreender?
Você tem um negócio próprio, ou quer ser o dono da própria empresa? Então você vai gostar dessas informações... Segundo o SEBRAE, através de um estudo que tem como objetivo estudar a a...

» ler post

A IMPORTÂNCIA DA INSTITUIÇÃO DE CONSELHOS EM EMPRESAS FAMILIARES
  Atualmente, no Brasil, a maioria das empresas são familiares. Há quem acredite que constituir uma empresa com base nos valores e laços de uma família é um diferencial positivo, sendo uma força, ou até...

» ler post

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO NO ÂMBITO DA EMPRESA FAMILIAR
Iniciamos com as palavras de Arnaldo Rizzardo, “Na humanidade nada é eterno, duradouro ou definitivo. É o homem perseguido pelo estigma de sua finitude, que o acompanha em sua consciência e limita os anseios no futuro. Esta a ver...

» ler post

SOCIEDADE UNIPESSOAL LTDA. X EIRELI: ENTENDA AS DIFERENÇAS E SAIBA QUAL OPTAR
Até pouco tempo atrás, as alternativas para se constituir uma empresa com uma única pessoa (sem sócios) não eram tão variadas. Ainda, alguns tipos empresariais traziam características que não os torn...

» ler post

Sucessão Familiar – É hora de planejar!
Garantir o futuro dos filhos significa mais do que dividir riquezas, mas também encontrar estratégias para que essa riqueza familiar perpetue. O Planejamento Sucessório, cada vez mais, tem sido pauta das reuniões das fam&iacut...

» ler post



`